Como deixar de ser vítima do mundo?

por | 26, jul 2020 | Propósito de Vida | 0 Comentários

Coisas ruins acontecem a todo momento, ninguém está alheio a essa realidade. Por mais que você não possa evitar, você pode controlar a maneira com que lida com as adversidades, não precisa ser vítima.

Frente a situações difíceis da vida, os pensamentos negativos são mais frequentes e costumam aumentar a proporção do problema, o que causa tristeza profunda e sentimentos melancólicos.

É possível mudar isso. Abraham Lincoln disse uma vez que “Ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história”

Assim, se você deseja saber mais sobre como deixar de vítima do mundo continua a leitura do artigo.

Treinar a mente para não agir como vítima

A maneira de encarar cada situação ruim pode acabar se tornando um hábito em nossas vidas.

Isso acontece porque o ser humano constrói manias de acordo com os tipos de pensamentos que estimula e, a pior parte, é que os mais negativos têm tendência a se instalar bem mais rápido. 

O dicionário define hábito como sendo uma “maneira permanente ou frequente de comportar-se”, desse jeito, para muda-lo não será tão fácil, será necessário muita exercício e disciplina.

Quanto mais negativamente você pensa acerca de determinada situação, mais difícil será sair dela.  

Um ciclo negativo influencia catastroficamente a maneira como agimos ou reagimos. A desmotivação e a depressão podem se tornar vícios.

O vício de aumentar as dimensões dos problemas, cria um apego a esse sentimento e você acaba se tornando vítima da própria vida.

Fazendo uma retomada a frase de Lincoln mencionada, ele quis dizer que você não deve se abater diante dos problemas, precisa enfrenta-los com determinação.

Por fim, ao ficar se vitimizando, a pessoa não tem força para mudar a situação que está vivendo e se libertar, porque perdeu completamente o controle da sua vida.

Como deixar de agir como vítima?

O primeiro passo para parar de ser vítima da sua história é: assumir responsabilidade pelos resultados da sua vida.

Não foi fulano, sicrano ou beltrano que te fez chegar no lugar que você chegou, foi você mesmo, foram as suas atitudes, logo, também, são suas as consequências.

Não importa quantas situações ruins você esteja enfrentando, todo mundo está lutando com seus próprios dragões e você não é mais privilegiado para ter facilidade.

Por mais que você não tenha controle sobre o mundo externo e seus acontecimentos, você tem total controle sobre a sua reação. 

Não passe tanto tempo sentindo pena de você, pare de ficar reclamando do quanto a sua vida é difícil, não fique se vitimizando. 

Ao invés de ficar sofrendo pelos cantos, seja inovador e tente encontrar uma maneira criativa para resolver seus problemas.

A diferença entre o criador e a vítima é que o primeiro se concentra em conseguir exatamente o que quer, enquanto o segundo fica remoendo as coisas que não estão certas na sua vida.

A atitude de autorreflexão é sempre bem-vinda, é boa para analisar tudo que não vai certo na vida, mas apenas se o seu objetivo for solucionar essas questões.

Olhe para o seu interior e concentre-se em uma maneira de melhorar sua situação.

Conclusão 

Portanto, para ser um criador e não mais vítima, é preciso que você se concentre na sua própria responsabilidade sobre seus problemas e na habilidade de resolução dos mesmos.

Treinas a sua mente para perder o hábito é amplificar situações desagradáveis é crucial para deixar de ser vítima.

Não fique culpando os outros, assuma as rédeas da sua vida. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.