O que levarias para uma ilha deserta?

por | 3, ago 2020 | Propósito de Vida | 0 Comentários

Se neste mesmo instante tivesses de partir para uma ilha deserta, quais são as três pessoas ou coisas que levarias contigo? E quais são as três pessoas ou coisas que não levarias, de todo? Pode parecer apenas um jogo, uma dessas perguntas que aparecem nas revistas, mas se refletirmos com alguma seriedade sobre ela, vamos descobrir que tem um significado muito mais profundo. 

Por trás das nossas escolhas das pessoas e coisas que levaríamos connosco para a ilha deserta e as que deixaríamos para atrás, estão os nossos valores. Se pensas com alguma calma, vais descobrir que estas escolhas não são aleatórias e sim fruto dos nossos valores mais intrínsecos. Talvez escolheríamos levar uma manta para nos protegermos do frio, e isso quer dizer que o valor que procuramos para a nossa vida é a segurança. Talvez escolheríamos levar o marido, ou a esposa, e os filhos, e isso talvez quer dizer que um dos nossos valores mais importantes é a família. E as coisas que excluímos? Talvez o relógio, porque de certa forma estamos a fugir do stress do dia a dia e procuramos o valor liberdade. 

É claro que não faz falta ir a uma ilha deserta para saber quais são os nossos valores, basta esta simples reflexão para entender se neste momento estamos a viver a nossa vida alinhados a eles. Por exemplo, se um dos nossos valores mais elevados é a família, a pergunta a fazer será: estamos a passar todo o tempo que gostaríamos com os nossos seres mais queridos? Ou se o valor mais elevado é a liberdade, a pergunta será: a vida que estamos a viver permite-nos ser quem realmente desejamos? Ou estamos preso a um emprego por causa dessa segurança que também procuramos como valor, quando escolhemos levar a manta para a ilha deserta?

Muitas vezes encontramos pessoas infelizes nos seus empregos ou nas suas vidas e muitas vezes é porque não estão a viver as suas vidas alinhadas com os seus valores. Não é preciso termos de ir a uma ilha deserta para descobrir quem somos, mas sim é preciso viver a nossa vida como se estivéssemos nessa ilha deserta… se realmente queremos ser plenamente felizes. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.