Quais comportamentos eu preciso ter para não brigar com a minha família

por | 30, jul 2020 | Propósito de Vida | 0 Comentários

Muitas pessoas não sabem, mas relacionamentos familiares podem influenciar e muito na maneira que você é, em como é receptivo para coisas que te acontecem e nas atitudes que toma.

A família é a primeira instituição a qual fazemos parte, é ela a responsável por moldar nosso caráter e ensinar sobre os princípios da moralidade.

É claro que passar os valores não é o mesmo que garantir que eles sejam seguidos, no entanto não é possível negar que esses valores familiares são inclusive o que define vários traços da nossa própria personalidade.

Desse modo, quando não estamos bem com algum membro da nossa família, as consequências podem atingir diversas áreas da nossa vida, como a forma com que nos sentimos sobre nós mesmos e outras relações pessoais.

Assim, percebe-se a necessidade de ter uma boa e saudável convivência na família.

Neste artigo, você vai descobrir maneiras de lidar com situações cotidianas para evitar brigas e viver melhor.

A compreensão e maturidade necessária para dividir o mesmo ambiente

Por mais que pareça um conselho simples e genérico, ele é, talvez, o maior e mais esquecido quando falamos sobre os relacionamentos familiares

Cada pessoa é única, tem manias e necessidades diferentes, logo não pensam e nem agem da mesma maneira, ainda que compartilhem o mesmo espaço.

Esse fato pode ser bem frustrante para a convivência dentro da nossa casa. Porém, isso não significa que só porque uma pessoa adotou uma postura diferente da que você adotaria que ela está errada.

Existem dois tipos de briga, a que começa de dentro para fora e a que faz o caminho inverso.

Quando estamos falamos do primeiro tipo de briga, normalmente, ela é causada dentro de casa, pelos próprios membros e você acaba levando “para fora” (para rua). 

Isso pode ser refletido em um comportamento mais introspectivo seu com os outros ou até mais agressivo (com muita grosseria e falta de paciência).

Enquanto no segundo caso, a briga começa em algum lugar que você não está em contato com seus familiares, como no trabalho por exemplo, e você leva “para dentro” (para casa).

Nas duas situações, a família acaba sendo envolvida porque ela é o seu primeiro alicerce. 

O desapontamento causado pela incompreensão dentro da família faz com que você desconte em outras pessoas; e os sentimentos despertados por terceiros em uma briga te fazem levar as frustrações para casa (o que pode gerar outra briga).

É nesse panorama que a necessidade e maturidade de entender que as pessoas são diferentes aparece.

Por exemplo, por mais que você saiba que é errado descontar seus problemas ou seus dias ruins em cima de outra pessoa, as vezes isso é incontrolável.

Por isso o perdão e o diálogo são os grandes aliados do bom convívio e deve ser o maior exercício praticado dentro das casas.

Como melhorar os seus relacionamentos familiares depois de uma briga? 

Alguns passos podem ser seguidos para o clima dentro de casa fique agradável após uma briga. Observe a seguir: 

  • Assuma responsabilidade pelos seus erros: se você for pessoa que feriu alguém, peça desculpa prontamente, não deixe passar dias porque a situação pode piorar
  • Aprenda a dar espaço: não adianta forçar o perdão, as vezes a pessoa afetada ficou muito magoada e precisa de um tempo para digerir tudo o que acontece
  • Não guarde mágoas: caso você tenha sido o que ofereceu o perdão, o faça de forma verdadeira, não fique citando o erro que já perdoo.
  • Saiba escutar e, também, dialogar: o que não te incomoda, pode incomodar muito outras pessoas e vice-versa, isso pode evitar muitos conflitos.

Conclusão

Portanto, busque o autoconhecimento para que saiba identificar tudo o que está sentindo e, assim, consiga evitar brigas na sua família.

Um bom relacionamento familiar é capaz de afetar positivamente todas as áreas da sua vida.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.